Gemte

Notícias

21 de Agosto de 2018

A inflação da saúde no Brasil em 2018

A inflação da saúde no Brasil em 2018

A inflação da saúde no Brasil em 2018 será a segunda maior da América Latina. O índice será de 15,4%, em média, 11,8% acima da inflação econômica (IPCA).

A inflação da saúde no Brasil em 2018 será a Aparecendo como a segunda maior da América Latina, a inflação da saúde no Brasil para este ano trará um índice médio de 15,4%, ou seja, 11,8% acima da inflação econômica (IPCA).
Hungria, Sérvia, Qatar e Romênia também estão entre os países que terão os maiores índices de inflação.
Na América Latina a inflação da saúde será 2,4% maior que a média mundial. Na América Latina a inflação dos custos médicos hospitalares será de 11,5%, no mundo o índice será de 9,1%, segundo estimativas do Relatório Internacional Medical Trends Around the World da consultoria Mercer Marsh.
Com o índice de 15,4% o Brasil só estará atrás da Argentina cujo índice será de 26,0%. Estes dados são resultados de pesquisa realizada com 225 operadoras de planos de saúde em 62 países da América Latina, América do Norte, Ásia, Pacífico e Oriente Médio.
Os principais fatores que pressionam o índice de inflação da saúde são: novas tecnologias, medicamentos de alto custo, solicitação abusiva de exames, revisão no rol de procedimentos cobertos pelos planos de saúde e matérias e medicamentos importados.
Segundo dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) temos ainda influenciando o índice de inflação da saúde as fraudes e os gastos com procedimentos desnecessários. Estes dois itens são estimados em um custo anual de R$22, 5 bilhões de reais.

Fonte: Revista Cobertura – Edição 2018